sexta-feira, 19 de março de 2010

Notícia boa e nem tão boa ao mesmo tempo

 

      Sabe quando a mesma notícia pode ser maravilhosa, mas ao mesmo tempo gerar preocupação? Pois é, estamos vivendo isso neste exato momento. Explico: já havia mencionado antes que iríamos vender nosso apartamento. Não queríamos ter que vendê-lo agora, mas como precisamos começar a obra com uma grana nossa (depois a Caixa reembolsa), não teríamos esse valor. As opções foram: pegar um empréstimo (Deus me livre!!!) ou vender o apto e usar o valor na construção da casa. Pois decidimos vendê-lo de uma vez.  
      Conseguimos negociar com um vizinho nosso, que vai comprar o apartamento e nos deixar morar aqui até a casa ficar pronta (ele vai comprar pra  locar mesmo, pra investimento). Isso nos aliviou, porque senão teríamos que sair daqui e alugar outro até a casa ficar pronta. Até ai tudo certo. O problema é que o apartamento é consorciado, no nome do meu sogro. Faltam 5 anos e pouco para quitá-lo. Nós fizemos umas contas por cima e achamos que faltariam apenas uns R$ 18.000,00 para terminar de pagar. Mas hoje, meu sogro ligou para o banco e fomos informados que faltam R$ 25.000,00 e uns quebradinhos para quitar. Quase cai pra trás! Sete mil de diferença! Esse dinheiro era a nossa decoração e algumas coisas que faríamos na casa. Já não poderemos fazer tão logo, como gostaríamos. Com o dinheiro da venda do apartamento (tirando os 25 mil pra quitação), iríamos fazer um milagre e usá-lo pra um monte de coisas. Uma delas era usar uma parte da grana (10 mil) pra baixar o valor final do financiamento, porque a nossa parcela ficou um pouco alta (os "queridinhos" da Caixa consideraram as horas extras do Jacques e não consideraram os descontos que todo assalariado tem). Na simulação, ganharíamos 4 mil de subsídio do governo, mas iremos ganhar apenas 2 mil por causa da renda, que ficou maior devido as horas extras. Tentamos argumentar que não era todo mês que o Jacques ganhava hora extra (e nós dois ganhamos insalubridade, que também foi incluído na renda), mas a moça que nos atendeu segunda disse que eles consideram a renda bruta, e não a líquida! E não sei se quem tem financiamento da CEF também teve que fazer seguros. Pra gente, além de ter que abrir conta corrente, o Jacques fez seguro de vida e quando a casa ficar pronta, o seguro residencial também será feito. Fora as taxas do financiamento, que serão pagas quando assinarmos o contrato.
      Mas voltando ao assunto, ficamos sem este valor de sete mil. Não poderei trocar os móveis logo de cara (teremos que realizar nossos desejos aos poucos). E vamos pagar só 5 mil pra CEF, pra abater no valor do financiamento, ao invés dos 10 mil planejados. A cada 2 anos, podemos usar o FGTS para pagar o valor da dívida.
      Então é isso, galera. alguns planos adiados, outros modificados, e a vida vai seguindo! Bjs a todos e todas!

8 comentários:

  1. Cátia, bom dia!
    Tbm estou passando por algo parecido.
    O dindin que seria usado para eletrodomestico e alguma modificação na casa foi usado para fechar o novo contrato. As casas daqui passaram de 80 para 90 mil, então vc ja sabe né?

    Agora, teve um assunto que vc comentou que me chamou a atenção. A venda casada, ou seja, os oferecimentos de pacotes na assinatura do contrato(titulos de capitalização, seguros de vida etc.)
    Isso é chamado de "venda casada" e é proibida por lei. Aqui na Bahia foi proibida pelo MPF. Acesse esse link e olhe a matéria:
    http://www.tabloideonline.com.br/noticia.php?n=6241
    Parte da Matéria:

    A Justiça também determinou que a instituição inclua em seus contratos de financiamento habitacional, as seguintes frases: "o consumidor não está obrigado a contratar nenhum produto ou serviço que não seja de seu interesse"; "a venda casada é uma prática ilegal (art. 39, I, do CDC)e constitui crime.

    A pessoa que busca o credito/financiamento se senti ameaçada (medo) de não ter o cadastro aprovado e aceita todos esses oferecimentos.

    Espero ter ajudado.

    Um beijo
    Karla.

    ResponderExcluir
  2. Oi Cátia,
    é entendo perfeitamente a situação de vcs.
    Tinha até reservado um dinheirinho pra fazer algumas modificações na casa pra que ficasse prontinha antes da gente mudar pra lá, mas vamos ter que ir fazendo uma coisinha de cada vez, pois tivemos que arrumar dinheiro pra aumentar o valor da entrada, porque o gerente disse que o vale refeição (que eu recebo todo mes, e em dinheiro, e não é pouco) não podia contar como renda.
    Ontem quando o gerente aprovou nosso financiamento, disse que todo o financiamento tem que incluir o seguro (no caso de morte de um dos compradores, invalidez, etc, a dívida não passa para os herdeiros). Além disso, se abrissemos uma conta corrente na Caixa os juros do financiamento sairiam bem menores e com isso, as parcelas tb são menores. Então aceitamos.

    Mas a gente supera toda essa burocracia e nada vai nos impedir de deixar nossa casa de jeito que sonhamos, né?!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Cátia! Péra aí! O seu sogro ligou para perguntar o valor da dívida apenas não foi? Mas, se ligarem e disserem que desejam pagar todo o montande da dívida, é calculado, sem o valor dos juros das parcelas que faltam, daí sai um bom desconto. Não sei se fizeram isso, mas eu já fiz em outra situação e tive um desconto bem legal! Eles têm que calcular o valor com esse desconto, Liga diz que deseja quitar e pergunta quanto de desconto eles te dão para isso. Afff, fiquei preocupada menina. Andei sumida viu, adoentada, mas já tô de volta. Bjinhos

    ResponderExcluir
  5. Ô Cátia, vc disse a caixa que vai quitar parte da dívida ou só perguntou quanto faltava para quitar? Pois tem os juros, né?!
    Verifica isso aí com seu sogro.
    bjks

    ResponderExcluir
  6. Oi, descobri seu blog, pesquisando sobre financiamento, e acho que qndo seu sogro for ao banco lá será descontados os juros.
    Eu acabei de fechar o contrato de uma casa na caixa e realmente tem taxas mais taxas, paguei de taxas lá o valor total de 1.600 reais, incluidos o seguro da casa, seguro de vida que fomos obrigados a fazer no 1º ano de contrato e taxa que a caixa cobra para as papeladas..aff...mas graças a Deus deu tudo certo.
    Boa sorte para vcs....

    ResponderExcluir
  7. A primeira coisa que eu ia comentar é sobre a venda casada, mas já vi que a Karla falou tudo sobre o assunto, então, só vou endossar as palavras dela... De uma forma geral, acho que essa notícia é muito boa sim, mesmo que demore um pouquinho para trocar os móveis, vcs já têm a segurança do apê vendido, melhor do que ficar dependendo da venda dele para poder construir...

    bjs!!!

    ResponderExcluir
  8. Eh amiga é assim mesmo.. aqui tbm ta mais ou menos isso.. tira daqui. coloca ali e vamos levando.
    Na verdade nos temos dinheiro pra começar.. pra terminar eu nao sei rsrsrs.. seja o que Deus quiser. vamos em frente

    ResponderExcluir

Recadinho pra "nóis"